O mercado de trabalho passará por grandes transformações nos próximos anos. Segundo o futurista Gerd Leonhard, nos próximos 20 anos a humanidade sofrerá transformações mais profundas do que nos últimos 300 anos.

Apenas no Brasil, segundo a pesquisa da consultoria McKinsey, 15,7 milhões de trabalhadores serão impactados até 2030. Por outro lado, muitos empregos serão gerados. Assim como gestor de redes sociais, motorista de Uber, especialista em cloud computing e cientista de dados não existiam 20 anos atrás, outras novas profissões surgirão para atender demandas que sequer imaginamos que teremos no futuro.

Fala-se muito em inteligência artificial, mas fala-se muito pouco que colocar um simples chatbot para funcionar, por exemplo, porque isso demanda muita mão de obra especializada. Treinadores de robôs que fazem uso de IA são uma das tendências de trabalho do futuro. Estima-se que 65% das crianças que agora entram na escola primária vão exercer profissões que ainda nem sequer imaginamos quais serão.

Mais automação e robotização não implica necessariamente em menos empregos. O Japão, um dos países mais robotizados do mundo, registrou em novembro de 2017 um dos menores índices de desemprego dos últimos 25 anos.

Também sentimos o reflexo dessas mudanças por aqui. Através de uma simples pesquisa no Linkedin, identificamos mais de 600 oportunidades em startups no Brasil. Um exemplo é a Sciensa, uma empresa nacional focada em Transformação Digital que não existia há 10 anos e que possui mais de 80 oportunidades de trabalho em aberto (http://vagas.sciensa.com).

Por outro lado há no Brasil muitas pessoas produtivas cujo trabalho será automatizado nos próximos 2 ou 3 anos (no máximo) e que estão presas a uma falsa sensação de segurança e estabilidade, porque trabalham em empresas consideradas “consolidadas”. Precisamos mudar esse mindset: não há mais emprego estável. Um estudo da consultoria internacional McKinsey mostra que, com a tecnologia disponível até o momento, 45% das tarefas de um trabalho já podem ser feitas por robôs e 60% de todas as ocupações poderão ter 30% de suas atividades automatizadas ou até mais do que isso. Nem mesmo o CEO de uma companhia escapará.

Precisamos desenvolver urgentemente lideranças exponenciais que possam ajudar essa mão de obra ainda produtiva a encontrar seu lugar nessa nova sociedade, ajudando-a a desenvolver novas habilidades e conhecimentos.

Acredito que nós, da iniciativa privada, temos que nos unir, tomar a frente e criar iniciativas que ajudem nosso país a dar um salto nessa questão de transformação digital. Não podemos delegar nosso futuro apenas ao governo e esperar que ele resolva nossos problemas futuros, sendo que mal consegue segurar todos os pratos dos problemas do presente.

Para pavimentarmos um futuro com mais empregos precisamos de mais iniciativas como a da DATA H, que fundou, em parceria com a NVIDIA, o I2A2 (Instituto de Inteligência Artificial Aplicada). Ele oferece semestralmente treinamentos gratuitos de formação nos tópicos de IoT (Internet Of Things), Machine Learning, Robótica e Big Data.

Além de competências técnicas, faz-se necessário desenvolvermos outras competências, como criatividade, pensamento crítico e empatia. Pessoas que possuem a capacidade de se colocar no lugar do outro e enxergar o mundo pelos seus olhos, serão atores transformadores fundamentais na liderança de grandes mudanças.

Retomando nosso questionamento: será o fim do trabalho como conhecemos? Certamente o trabalho como conhecemos deixará de existir. Chegou a hora de revermos nossa relação com o trabalho. Estamos vivenciando uma nova era com muitos desafios e para quem está disposto a aprender e a abandonar mindsets limitantes será uma era de muitas oportunidades de crescimento e evolução.

Não espere seu chefe ou sua empresa te dizer o que precisa ser feito. Seja o protagonista de sua história.

Suba o primeiro degrau rumo ao futuro digital mesmo que você não enxergue toda a escada, mesmo que seus passos não sejam firmes a princípio. Um mundo novo surgirá à sua frente e uma nova pessoa emergirá em você. Uma pessoa capaz de construir sua própria jornada nesse mundo em transformação.